Início
/ NOTíCIAS & NOVIDADES

Abram Alas Para Sua Majestade Nicanor

Sósia de Pelé aos 43 anos de idade.

Talvez Nicanor Ribeiro, 60 anos, seja o ser humano mais distraído do mundo ou um raro sujeito que não estaciona diante do espelho, pois só veio perceber que era sósia de Pelé aos 43 anos de idade. Hoje, ele faz dessa semelhança a sua profissão – cobrando incialmente cinco mil reais por apresentação.

Mas até aquele dia em que começaram a correr atrás dele gritando pedidos de autógrafo, não fazia a menor ideia de que poderia ser confundido com o Rei.

Este fato, que teve a previsível participação de turistas japoneses, se deu na Disneyworld, em 1997. Se não tivesse eliminado a barba cultivada e nem abandonado os óculos após a remoção de uma catarata precoce, Nicanor se manteria incógnito nas ruas até hoje.

Na verdade, ele continuou indiferente mesmo depois do assédio, até deparar com a atriz Veruska de Souza no dia 8 de março de 2002. Não estranhem a exatidão cronológica, pois Nicanor gosta de celebrar o Dia da Mulher, de modo que a memorização se fixou por associação de ideias. Por essa época, Veruska já ganhava a vida como sósia de Whoopi Goldberg, a freira maluquinha da comédia Mudança de Hábito.

Nicanor lembra que Veruska olhou para ele com o entusiasmo de um garimpeiro que viu uma pepita impressionante no cascalho da sua peneira. Levou-o imediatamente para o programa de Yone Borges, na TV Gazeta, de onde ele saiu como uma espécie de celebridade transitória. Ou seja: o burburinho incontrolável que caracteriza as aparições de Pelé arrefece quando a verdade é revelada, embora a festa prossiga animada ao seu redor.

Mas sejamos justos com Nicanor: ele é um sósia absolutamente honesto no sentido de prevenir equívocos de identidades. Para diferenciar do rei do futebol, seu autógrafo leva dois eles e, ao imitá-lo na alocução indefectível – “entende?” – com a qual termina suas frases, Nicanor recorre ao verbo compreender. Além disso, antes que comecem a fazer perguntas relativas à intimidade do craque, antecipa que nada sabe a respeito.

Três assuntos costumam dominar as indagações: os mil gols, as conhecidas dificuldades vividas pelo filho Edinho e… Xuxa! Ainda há muita curiosidade sobre seu namoro com a rainha dos baixinhos, que acabou há mais de duas décadas.

A rigor, ele tem duas afinidades com Pelé e uma diferença irreconciliável. No primeiro caso, ele, que é da Vila Medeiros, torce para o Santos e seus pais são de Bauru, cidade em que o rei foi criado: no segundo, morreria de fome se, eventualmente, se metesse a jogar bola.

Nicanor Ribeiro, sósia de Pelé: humildade perante o rei do futebol./Paulo Pampolin/Hype No futuro, Nicanor poderá proclamar a proeza de que, nesta Copa do Mundo, ele superou Pelé na quantidade de compromissos oficiais. Conservou sua média de 10 eventos mensais, enquanto o rei permaneceu em branco. Sequer compareceu à abertura da Copa no Itaquerão.

Mas é necessário esclarecer que sua reclusão, conforme disse à coluna, foi voluntária. Ao verificar que não tinha obrigações contratuais com seus patrocinadores durante o campeonato, decidiu ficar com sua mãe, Dona Celeste, 90 anos, emendando alguns dias em sua companhia, algo que não conseguiu fazer nos últimos 59 anos. Dona Celeste mora em Santos, na companhia de Lúcia, a filha caçula.

Por seu lado, o sósia esteve a todo vapor. Na maioria das vezes, sua agenda o manda visitar empresas para participar de comemorações e se confraternizar com os funcionários. Também atende indiretamente a Pelé, pois é o dublê perfeito para as filmagens dos inúmeros comerciais dele.

O último foi o do supermercado Carrefour, no qual Pelé aparece de cetro e coroa, sentado num trono. Mas, atenção: Nicanor jamais o substitui em cena. Toma o lugar dele apenas nas preparações, quando sua semelhança física é explorada para se encontrar os melhores ângulos das tomadas definitivas e nos ajustes de luzes ou som. “Mas, sinceramente, o meu sonho é ser recepcionista do Museu Pelé. Já pensou?”, diz ele.

O Museu Pelé acabou de ser inaugurado na região do Valongo, no centro histórico de Santos. A ideia é boa. E seria divertido vê-lo dirigir-se aos visitantes, repetindo a piada que utiliza para fazer sua própria apresentação. “ Pelé é 10 e eu sou 100”, diz ele, prenunciando o trocadilho.

“Sou sem língua, porque ele fala seis idiomas e eu, nenhum; ele tem fama galáctica e eu…”

E segue em frente.

 

TAGS: sósia, sósia de pelé, sósia do rei, nicanor, pellè Publicado em: 17/09/2015 - 17:31